maio 02, 2018

Cozido nas caldeira das Furnas


Cozido à portuguesa nas caldeiras das Furnas



Ribeira dos Caldeirões - Nordeste

Ribeira dos Caldeirões - Nordeste

Ribeira dos Caldeirões - Nordeste


Ribeira dos Caldeirões - Nordeste

março 18, 2018

Romeiros e romarias


Tradição oriunda de S. Miguel, ilha do Arquipélago dos Açores, as romarias quaresmais tiveram a sua origem, segundo se crê, no início do século XVI, em Vila Franca do Campo, primeira capital da ilha. Constituíram a resposta encontrada pela população de então para aplacar a fúria divina que, assolando essa localidade, soterrou os vila-franquenses e todos os seus haveres.
Na sequência desta catástrofe natural, ocorrida no dia 22 de Outubro de 1522, os poucos sobreviventes ergueram uma ermida, consagrada a Nossa Senhora do Rosário, no local onde actualmente existe o Convento de S. Francisco. Todas as quartas-feiras, dia da semana em que ocorrera a catástrofe, a população da ilha, à noite, dirigia-se em romaria a esse local.
Com o passar dos anos, algumas paróquias começaram a organizar romarias, que, ao longo de oito dias, percorriam a ilha a pé, parando em todas as igrejas onde fosse venerada a Virgem e/ou onde estivesse o Santíssimo Sacramento. Os romeiros dirigiam-Lhes súplicas, agradecendo-Lhes as graças concedidas. Durante o percurso, entoavam o hino de Nossa Senhora (Avé Maria).

No ano de 1962, o Bispo da diocese, D. Manuel Afonso de Carvalho, promulgou o Regulamento dos Romeiros, vinculando os responsáveis pelos ranchos ao cumprimento do mesmo, assim como à realização de reuniões prévias, de preparação. Essa orientação foi continuada por D. Aurélio Granada Escudeiro, em cujo episcopado foi criado o Grupo Coordenador das Romarias Quaresmais de S. Miguel. Coube a este grupo a alteração do Regulamento até então em vigor.

Fonte: http://www.eslr.edu.azores.gov.pt/old/came/romarias/paginas/origem.htm


From Vigia de São Pedro